31/01/2012

OS MUROS DE JERICÓ

Jericó,também conhecido como Tell es-Sultan, er-Riha, Eriha, Yeriho

A "Cidade das Palmeiras" situa-se ao lado oeste do rio Jordão a 825 metros abaixo do nível do mar.
O sitio do Antigo Testamento de Tell es-Sultan é a cidade que foi destruída por Josué (Josué 7). Nos dias de Jesus uma nova cidade tinha sido construída muito perto da antiga, provavelmente o primeiro a ter esta iniciativa foi um governante de nome Hasmoneus, Herodes deu grande impulso a este lugar, Tell es-Sultan (ou Jericó).
Depois de Jerusalém, Jericó é o local mais trabalhado em terno arqueológicos em Israel. Charles Warren, em 1868, realizou várias iniciativas, mas concluiu que não havia nada a ser encontrado (ele não encontrou os fundamentos da torre de Jeriçó). Os alemães Sellin e Watzinger fizeram sérias escavações entre 1907-13, Garstang e Kenyon 1930-1936 1952-1958. Uma equipa italiana e palestinianos trabalharam durante mutos anos, mais concretamente até ao início de 1997.
A torre foi descoberta por escavações dirigidas por Kathleen Kenyon, consegue descobrir a base da torre (datada pelos arqueólogos da era do Neolítico), a torre de 8m de diâmetro, está conservada a 8m de altura e a ela estava ligada um muro de 4m de espessura. Foi este muro e torre que caíram tal como está descrito em Josué 7.

Com base nesta descoberta, os arqueólogos reivindicam que Jericó é a "cidade mais antiga do mundo." Claramente tal construção monumental reflete organização. De fato, não se deve esquecer que as margens do rio Jordão eram muito férteis e a terra plana.
Das escavações de Sellin e Watzinger, os arqueólogos têm reconhecido a existência de uma parede de revestimento de grande porte que apoia a ideia que a cidade terá origem na Idade do Bronze Médio.

Esta parede foi composta de grandes pedras apoiou uma parede de tijolos sobre ela. Esta porção meridional da parede estava exposta em 1997.

Sellin e Watzinger e mais recente Kenyon acharam restos de um muro que terá caído ou desmoronado e posteriormente foi revestido por uma parede em tijolos.
Foram encontrados por Bryant vários suportes em madeira para a base dessa parede de tijolos. Todos concordam que o muro caiu, mas eles divergem sobre a data. Conclusões baseados em estudo da antiguidade desta madeira levam a datar com alguma precisão para 1400 aC. Ou seja confirma plenamente a destruição do muro no tempo de Josué. 

Jarros com Grãos
Ambos Garstang e Kenyon acharam dúzias de jarros cheios de grãos da última cidade cananéia de Jericó. A conclusão óbvia: eles eram do tempo da colheita quando a cidade foi queimada (não roubado) por Josué. Como tal, os registos arqueológicos o registo bíblico coincidem neste ponto precisamente.
Os jarros retratado aqui ainda permanecem num dos balks Kenyon em Jericó.
Árvore Sycamore
"Jesus entrou em Jericó e estava passando por isso agora um homem chamado Zaqueu estava lá;. Ele era um chefe dos publicanos e era rico Ele estava tentando obter um olhar para Jesus, mas sendo um homem baixo, ele não conseguia ver por cima da multidão. . Então ele correu na frente e subiu a um sicómoro para vê-lo, pois Jesus ia passar por aquele caminho "(Lc 19:1-4, NET Bíblia).

Sem comentários:

Enviar um comentário